Tadej Pogacar (UAE Emirates) deu um passo importante na defesa do seu cetro do Tour de França conquistado em 2020, ao vencer o contrarrelógio (etapa 5) em Laval, esta quarta-feira.

PUB
Prototype

O esloveno ganhou 44 segundos ao compatriota Primoz Roglic (Jumbo-Visma), apontado como o seu principal adversário, e ainda 1.18 minutos a Geraint Thomas (Ineos), 1.43 m a Richard Carapaz (Ineos), 1.48 m a Wilco Kelderman (Bora-Hansgrohe) ou 2.08 m a Miguel Angel Lopez (Movistar), outros principais rivais na corrida à camisola amarela.

Apenas cinco dias depois do início do Tour, Pogačar já se encontra a 1.36 minutos de Carapaz e 1.40 m à frente de Roglic e 1.46 m de Thomas.

Mathieu van der Poel (Alpecin-Fenix) resistiu na liderança da corrida francesa, com a camisola amarela presa por 8 segundos para Pogacar, que efetuou este contrarrelógio a uma velocidade média de 51 km/h, batendo o campeão europeu da especialidade Stefan Küng (Groupama-FDJ), por 18 segundos, o segundo na etapa.

PUB
Orbea Genius Dealers

“Hoje foi um dia muito bom. Não cometi nenhum erro”, disse Pogacar. “O tempo estava perfeito para mim, porque houve corredores que saíram com a estrada molhada. Felizmente, tive condições perfeitas e também a temperatura esteve ótima. Tudo perfeito!”, afirmou o jovem corredor esloveno.

“Verifiquei o percurso. Nos últimos contrarrelógios cometi erros [referindo-se aos campeonatos nacionais da Eslovénia], porque comecei muito rápido. Aqui, com pequenas subidas, comecei a andar muito bem e encontrei um ritmo perfeito até o final. O objetivo era não perder tempo, mas ganhei-o, por isso estou superfeliz. Estou muito animado para o vem aí no Tour. Adoraria ter a camisa amarela, mas Mathieu [van der Poel] está muito elegante com ela, então está bem assim”, gracejou Pogacar.

“Hoje surpreendi-me comigo mesmo. Tenho de agradecer à equipa, trabalhámos até à meia-noite na bicicleta, preparando-a para que eu tentasse debitar mais watts”, disse Van der Poel.

PUB
Specialized Levo

“Forcei além dos meus limites, estou orgulhoso de mim mesmo. Sabia que os últimos 2km seriam decisivos e ainda tinha um pouco nos depósitos. Disse ontem que era possível que perdesse a camisola amarelo, e não era mentira. O contrarrelógio não é minha especialidade, mas superei-me hoje”, admitiu o corredor dos Países Baixos.

Também vais gostar destes!