Reconhecidos em todas as vertentes do ciclismo, os pedais Time são a base desta marca francesa que em 2021 foi adquirida pela Sram. E agora surge o primeiro grande refresh das gamas completas de pedais Time.

PUB
KTM

Reconhecida pela sistema ATAC, que ainda continua presente nos pedais Time, o design difere das restantes marcas por oferecer mais “liberdade” de movimentos ao nível do pé, garante a Sram. No geral, os pedais Time proprocionam mais conforto para os joelhos, ou para quem não quer um sistema completamente rígido, explicam.

Agora, e pela primeira vez desde a sua aquisição pela gigante norte americana Sram, há uma renovação total da gama de pedais com o “intuito de simplificar a escolha do utilizador”, explicam em comunicado. Posto isto, começamos pelos de BTT.

Speciale 12 e Speciale 10

Indicados para enduro e trail, mas também servem para as restantes vertentes do BTT. Apresentam um design que já conhecemos e o Speciale 12 continua a ser o mais exclusivo da gama, seguido pelo Speciale 10.

Time Speciale 12 tamanho L.

Estão disponíveis em dois tamanhos: grande (69 x 90 mm) para downhill e enduro, ou pequeno (64 x 80 mm); e também com o já referido referido sistema ATAC introduzido na construção em alumínio.

Time Speciale 10 tamanho S.

PUB
TrekFest 2024

O Speciale 12 só está disponível na cor preto/dourado, enquanto o 10 tem uma paleta de cores mais variada. A principal diferença está no eixo do pedal,  sendo o Speciale 12 de titânio e o 10 de hollow steel.

ATAC: XC6, XC10 e XC12

Para os praticantes de XC. Esta gama é mais focada na redução de peso e na performance como um todo, e, dado o panorama atual do ciclismo, são também uma opção popular por entre os ciclista de gravel.

O XC6 é o mais barato dos três e possui um eixo de aço reforçado com fibra de vidro. O XC10 recebe também um reforço em fibra de carbono, enquanto o XC12 mostra construção em fibra de carbono e eixo em titânio. A diferença entre o XC6 e o XC12 é de cerca de 20 gramas por pedal.

MX4 e MX6

Ainda na gama de pedais de BTT, os Time MX4 e MX6 são para quem procura pedalar sem orientação competitiva ou para trail. De aspeto mais robusto, estes dois últimos são construídos através do mesmo molde e com a mesma inserção em fibra de vidro.

Contudo, o MX4 apresenta um eixo de aço sólido, enquanto o MX6 é em aço. A diferença é de apenas dois gramas por pedal e, em relação à restante gama, há um cleat de apenas 10º graus, o que facilita a retirada do pé do pedal, diz a Time.

PUB
Beeq

XPRO 12 SL, XPRO 12 e XPRO 10

Estes são os modelos para bicicletas de estrada, com os XPRO 12 no topo da gama. Os XPRO 12 SL são os mais leves, em carbono, mas com um superfície de de contacto de 700 mm 2.

Time XPRO 12 SL

O encaixe acontece através do sistema ICLIC, sendo que em combinação com as travessas ICLIC Float fica prometida uma flutuação lateral e angular, o que pode ajudar a reduzir a pressão nos joelhos.

XPRO 12

Os XPRO 12 SL têm rolamentos cerâmicos e eixos em titânio, com um peso de 87,3 gramas por pedal. Não são reomendados para quem tem mais de 90 kg, até porque há uma superfície de carbono que pode ser ajustada em três níveis consoantes a rigidez desejada.

Time XPRO 10

Os modelos XPRO 12 “normais” e XPRO 10 partilham praticamente todas as características deste modelo referido anteriormente, com diferenças ao nível do design e do peso. Visita o site da Time para mais informação, link abaixo.

Mais info:

PUB
Giant TCR 2024

Também vais gostar destes!