Ainda a edição deste ano da Volta a França mal terminara e já se ansiava por saber os pontos principais do percurso de 2024, que oficialmente só serão conhecidos no dia 25 de outubro, em Paris, data da apresentação formal da prova.

PUB
Cube Stereo ONE

À imagem de todos os anos, a revelação do percurso é um momento muito aguardado pelos fãs, após alguns meses de especulação, ainda que já se conhecem algumas etapas – nomeadamente as três primeiras e das duas últimas –, cuja divulgação também faz parte da tradição, para aguçar a curiosidade e pela publicidade e marketing.

Desde já, sabe-se que a Grand Depart será em Florença, em Itália, e que se seguirão três etapas integralmente transalpinas, com chegadas em Rimini e Bolonha (para corredores ofensivos) e Torino (para velocistas), enquanto as duas últimas jornadas serão corridas em redor de Nice, onde terminará, excecionalmente a competição em 20024, devido à realização dos Jogos Olímpicos em Paris.

A 20.ª etapa será um grande dia de montanha com final no Col de la Couillole e a derradeira tirada um contrarrelógio individual de 35 quilómetros entre Mónaco e Nice.

PUB
KTM

Isto é que o é oficial, mas há muitos rumores sobre outras passagens do percurso do próximo Tour, provenientes de informações de diversas fontes credíveis em França.

Muito provavelmente, a Grande Boucle continuará por Itália após a etapa de Torino, com o início da etapa 4 em Pinerolo, antes de nesse dia cruzar a fronteira para França. O resto da primeira semana permanece indefinido, ainda que haja indicações de que poderá incluir um contrarrelógio (individual ou por equipa), o segundo nesta edição.

Para a segunda semana, mais informações surgiram há poucos dias. Deverá haver chegadas em Saint-Amand-Montrond e em Puy Mary, onde a partir daí os corredores enfrentarão os Pirenéus, com duas ou três grandes etapas de montanha. Uma destas deverá terminar no Plateau de Beille (15 km a 7,7%), que regressa após 2015, e outra no Plat d’Adet (10 km a 8,9%).

Na última semana, antes de chegarem à Côte d’Azur, os corredores atravessarão os Alpes, com etapas que deverão terminar em Super-Dévoluy e Barcelonnette. Todavia, é a 19.ª etapa que está a aguçar o apetite dos adeptos, e que, a confirmar-se, será a etapa rainha da 111.ª edição do Tour.

Segundo muitas fontes, a jornada integra as subidas ao Col de la Bonette (23,5 km a 6,8%), apenas a passagem mais elevada da Europa, com o cume situado a quase 2800 metros de altitude, e que não consta da rota da Volta a França desde 2008.

Lê também:

Diário da Vuelta: Nem vitória ‘à Merckx’ ou elogio dos rivais consolam Remco Evenepoel [com vídeos]

Imagens: Tour de França e ASO Twitter

PUB
Specialized Levo

Também vais gostar destes!