Desempenho e conforto, duas palavras-chave para a Merida no momento de apresentar a Scultura Endurance. Esta nova bicicleta da marca quer focar-se “no fundo e no ultra fundo”, para ser uma opção para quem procura rotas mais exigentes e longas.

É na estrada que se pretende tirar o melhor partido de uma bicicleta de alta qualidade, mas esta Scultura Endurance permite que se possa colocar pneus até 35c. Isto abre o leque de opções, em primeiro lugar, no conforto.

“Os pneus mais largos não só proporcionam mais aderência, têm um maior volume de ar permitindo andar com menos pressão, o que resulta, em última análise, numa viagem mais confortável”, explica a Merida.

Em segundo lugar, “permitem-te mesmo atacar secções de terra ou estradas mais sinuosas sem ter de sair da bicicleta”. E há que citar ainda a Merida nas possibilidade que se abre com esta opção de um pneu mais largo numa bicicleta de estrada: “Esta é uma oportunidade para redesenhar as tuas rotas e procurar alternativas mais aventureiras.”

No entanto, também se pode montar os mais tradicionais pneus de 25c, continuando a tirar-se partido das caraterísticas desta bicicleta em percursos longos.

Pormenores em destaque

Este novo modelo da Merida tem mais pormenores de versatilidade, como é o caso da possibilidade de se colocar um guarda-lamas, tanto na roda dianteira, como traseira. A marca garante que não vão influenciar o desempenho da bicicleta: “Os acoplamentos estão perfeitamente integrados na estrutura e permitem uma fácil montagem e desmontagem.”

De realçar também que a direção de 1 1/2″ vai proporcionar uma maior rigidez ao quadro, sendo algo importante nesta área, pois como explica a Merida, “o design da Scultura baseia-se no tubo de direção mais alto em comparação com outros modelos de estrada”. Desta forma, a bicicleta não perde desempenho.

Outro ponto a ter em conta é a abraçadeira do espigão integrada. Esta é uma evolução da utilizada no quadro Reacto, o mais aerodinâmico da Merida. Esteticamente a bicicleta também ganha com esta escolha, mas foi para a aerodinâmica que a marca mais olhou.

Esta mesma zona também tem herda da Reacto a forma de apertar o selim. Mais uma vez, melhor aerodinâmica e visualmente também mais elegante.

Tecnologia Wire Port

Depois há algo que começa é a ser estranho quando não se vê em bicicletas deste nível. A Merida revela a Wire Port como a nova tecnologia desenvolvida pela sua equipa de I&D, que permite “conseguir a máxima integração de cabos e tubos no quadro”. A Scultura Endurance foi o modelo escolhido para estrear esta nova tecnologia.

“Os cabos entram através da nova tampa de direção e são guiados dentro do quadro até às pinças e desviadores”, explica a Merida.

Sistema de arrefecimento nos discos

Os travões de disco vieram para ficar nas bicicletas de estrada e a Merida destaca como a Scultura Endurance tem incluído o sistema Disc Cooler, patenteado pela marca.

O nome em inglês não deixa enganar, pois é um sistema que irá reduzir a temperatura de funcionamento dos travões. Tal, segundo a Merida, vai permitir um melhor desempenho dos travões, seja em que condições for.

O único alerta é que “com o adaptador DISC COOLER os discos têm de ser de 160 milímetros – ao montar um adaptador pode ir até 180 milímetros”, escreve a Merida A aposta neste sistema surgiu quando apresentou a sua primeira bicicleta com travões de disco, a Scultura Disc.

Modelos a escolher

São quatro, com preços diferentes, uns equipados com Shimano Ultrega e a Scultura Endurance 4000 com 105. Este é precisamente o modelo mais económico da nova bicicleta, custando 2299 euros.

A 5000 sobe para os 2549 euros, enquanto o modelo acima (6000) fica pouco abaixo dos três mil (2899). A topo de gama é a Scultura Endurance 7000E, que custa 4199 euros.

A Scultura Endurance vem assim completar a gama de estrada da Merida, juntamente com a Scultura e a já referida Reacto.

Mais informações: 

merida-bikes.es