Gino Mader morreu, aos 26 anos, no dia 16 de junho, um dia após a queda que sofreu na 5.ª etapa da Volta à Suíça, uma tragédia para toda a comunidade ciclista, mas mais sentida pelos seus familiares e amigos.

PUB
Giant Trance X Advanced E+ Elite

Pouco menos de três meses após a morte do filho, Sandra Mader concordou em falar ao jornal Sudkurier sobre a sua perda, afirmando ter pressentido que algo iria acontecer naquele dia, que acabou por revelar-se fatídico.

“Pressenti algo naquele dia. Acredite-se ou não, andei nervosa o dia todo, não sei porquê. Alguém me perguntou se o Gino participaria na Volta a França, e eu disse que nunca se sabe ao certo, que os ciclistas podem sofrer uma queda ou adoecerem, e que tudo o que parece planeado acaba por não se concretizar”, confidencia Sandra Mader, antes de contar o momento em que lhe pediram que se deslocasse com urgência ao hospital de Chur [para onde tinha sido transportado o corredor suíço após o acidente] e as horas que se seguiram ao drama.

“Entendi que era só uma questão de desligar ou não as máquinas. O médico disse-me que Gino nunca mais conseguiria dizer ‘mãe’, que ficaria para sempre acamado, que não conseguiria nunca mais falar ou andar de novo”, revela a mãe do malogrado corredor da Bahrain Victorious.

PUB
Orbea Genius Dealers

A mãe de Gino Mader – que se deslocou ao local do acidente dois dias após a morte do filho – não quer apontar o dedo aos responsáveis ​​nem encontrar qualquer motivo para o súbito desaparecimento de seu ente querido. “Creio que foi o destino dele. A culpa não é de ninguém. Subir e descer faz parte do ciclismo”, conclui Sandra.

Lê também:

Guia da Vuelta 2023: as equipas, os protagonistas e as etapas

Imagens: Bahrain Victorious Twitter

PUB
BH GravelX

Também vais gostar destes!