Mesmo com os dias maiores, as voltas e treinos noturnos, seja nos trilhos ou na estrada, são uma constante junto de quem leva a prática do ciclismo um pouco mais a sério. Há mesmo malta que só consegue pedalar ou muito tarde ou muito cedo, o que obriga a pedalar com está escuro. Então, ter umas boas luzes para bicicleta é fundamental.

PUB
Lapierre XR

Tendo isso em mente, o que não falta nas lojas da especialidade são marcas e modelos de luzes para bicicleta e ciclismo. Temos experimentado vários modelos, sendo que desta vez andámos algumas centenas de kms, recentemente, com os mais recentes modelos da Ravemen, que o importador da marca para Portugal teve a gentileza de nos emprestar.

Falamos das luzes frontais Ravemen CR800 e PR2400 (59 e 179 euros, respetivamente), e também da luz traseira CL05 (25 euros). Todas elas com sistemas LED como base, estrutura em alumínio (total ou parcialmente) e vários modos de funcionamento e iluminação, seguindo as tendências das mais recentes luzes para bicicleta.

Luzes para bicicleta Ravemen PR2400

Como se pode desde logo imaginar pelo preço de quase 180 euros, esta luz frontal é um verdadeiro “canhão” e temos a certeza que não vai desiludir o mais exigente ciclista noturno. E tanto na estrada como nos trilhos, onde há sectores florestais ainda mais escuros.

E há nesta PR2400 pormenores “delicisosos”: as lentes são anti encadeamento, que é um dos problemas quando nos surgem outros veículos de frente e levamos a luz no máximo; há um indicador de tempo no pequeno ecrã da lanterna que indica quando chegará o fim da carga da bateria.

PUB
Orbea Rier Connect

E há um comando à distância sem fios que permite ajustar a intensidade da luz e alternar entre os vários modos de funcionamento. Um modelo caro, mas completo e muito eficaz!

São cinco LEDs de cor branca que totalizam 2.400 lúmens, o que é mais do que suficiente para qualquer situação, sem dúvida. Aliás, só se ativa o máximo de luz no modo de emergência e no mais intenso dos três níveis de intensidade no Modo BTT (os outros dois libertam 600 e 1.200 lúmens).

Aqui, a marca fala de autonomias de 5.5, 2.4 e 1.5 horas nos níveis de 600, 1.200 e 2.400 lúmens, respetivamente. Autonomias que se constatam, sensivelmente, talvez com uma ligeira variação de menos 10 a 15%, no máximo.

O mesmo se passa no Modo Estrada, com os seguintes níveis de intensidade de luz e respetivas autonomias: 100 lm, (45 horas), 300 lm (11.5 horas), 500 lm (5.5 horas), 900 lm (3.4 horas) e flash rápido a 500 lm (20 horas).

A parte da frente da luz e o corpo principal são em alumínio, com a secção posterior e suporte em plástico. Muito interessante e útil é a bateria de 8.000 mAh, responsável pelos bons níveis de autonomia referidos acima.

Na parte de cima há um pequeno ecrã OLED que fornece informações e a dita bateria pode servir de powerbank para carregar dispositivos móveis (USB tipo C de entrada de energia e 2.0 para saída). Uma luz com 105 x 51 x 36 mm e 282 gramas, pelo que refere a Ravemen.

Ravemen CR800

Com um formato totalmente diferente, cilíndrico, o modelo CR800 é uma luz frontal LED mais pequena (100 x 29 x 32 mm), mais leve (109 gramas) e bem mais barata que o modelo anterior (59 euros). Revela-se, contudo, bastante robusta e compacta, também, e surpreendentemente potente, mesmo em BTT, para uma luz de 800 lúmens. 

Também tem lentes anti encadeamento e o interessante pormenor de os LEDs serem visíveis também pela lateral. Também aqui é possível prolongar a autonomia com recurso a uma fonte de energia externa e a recarga acontece via USB micro. E também podemos contar com resistência IPX6 para combater a chuva, num corpo em alumínio.

A bateria de 2.600 mAh proporciona uma duração bastante interessante, associada desta forma aos diversos níveis de intensidade e funcionamento: 70 lm (17 horas), 200 lm (4.5 horas), 450 lm (2.5 horas), 800 lm (1.5 horas), intermitente a 200 lm (17 horas) e flash rápido a 50 lm (38 horas). Refira-se que estes índices de autonomia decrescem cerca de 10% em circunstâncias de uso real.

Ravemen CL05

Por fim, o modelo CL05, que se destina a assinalar com luz de presença a retaguarda da bicicleta, e isto tanto de estrada como de BTT, claro. E diga-se desde já que se trata de um modelo leve, muito leve, pesa apenas 23 gramas!

E, tal como as luzes frontais de que falamos neste artigo, é bastante fácil de instalar, neste caso no espigão de selim, como é normal neste tipo de lanterna traseira (inclui também um clip para montagem em bolsas de selim se for necessário).

Baseia-se em dois anéis de LEB e em dois botões para alternar os modos de funcionamento, sendo que a potência é de 30 lúmens. Está integrado um sensor de iluminação, o que é bastante útil, já que o sistema ativa o nível máximo de luz ao detetar faróis de veículos a aproximar-se pela retaguarda. E ainda pode fazer disparar o modo interminente de forma automática, para que possamos ser avistados com mais eficácia ainda. Interessante.

A bateria de 240 mAh oferece-nos autonomias diferentes em função dos diferentes modos de intensidades de luz selecionadas: High (4.5 horas), Low (12 horas, Rapid flashing (8 horas) e Pulse flashing (18 horas).

Mais info:

Importador para Portugal:

Neste artigo

  • Texto: Jorge D. Lopes e Nuno Granadas
  • Fotos: Nuno Granadas

Caso detetes algum erro ou tenhas informação adicional que enriqueça este conteúdo, por favor entra em contacto connosco através deste formulário.

PUB
Expander Cross

Estás a gostar do GoRide.pt?

Então subscreve a Newsletter GoRide.pt clicando/tocando na imagem abaixo!

NEWSLETTER GORIDE.PT Newsletter GoRide.pt

Nuno Granadas
Corre para manter a forma para o BTT e ciclismo. Ou será que é ao contrário? Bem, o que interessa é que este nosso "analisador" de equipamento leva tudo ao limite.

    Também vais gostar destes!

    Mais em Acessórios