O ano desportivo de 2022 tem sido madrasto para Julian Alaphilippe. O bicampeão mundial foi vítima de uma queda esta quarta-feira durante a 11ª etapa da Volta a Espanha, a cerca de 60 quilómetros da meta em Cabo de Gata e foi forçado a desistir da corrida com suspeitas de lesão na zona do ombro direito.

PUB
Prototype

É a segunda queda com consequências físicas para o corredor francês da Quick-Step Alpha Vinyl esta temporada, depois da sofrida na Liège-Bastogne-Liége em abril, causando-lhe diversas fraturas e pneumotórax, e que implicou um longo período de recuperação, das mazelas e da condição física para a competição, que terminou pouco antes do início da Vuelta.

PUB
Prototype

 

Agora, outro incidente violento no ano para Alaphilippe. Este sucedeu quando a roda da bicicleta do perdeu aderência numa curva. Desde logo, o corredor ficou por terra, bastante queixoso na zona do ombro direito e após alguns minutos de ser assistido no local pela equipa médica da Vuelta foi transportado de ambulância para o hospital, com o braço direito imobilizado.

Ao final da tarde desta quarta-feira ainda não se conhecia o estado de saúde de Julian Alaphilippe, com a sua participação nos próximos Campeonatos do Mundo, em finais de setembro, em suspenso.

Evenepoel lamenta, mas também desdramatiza

A desistência de Alaphillipe é um revés para Remco Evenepoel, para o que resta da Vuelta -e é muito! O francês tem sido um dos companheiros de equipa mais ativos no apoio ao belga, líder até agora incontestado desta 77ª edição da corrida espanhola, principalmente na abordagem à última subida das etapas, onde Evenepoel tem feito a diferença para os rivais – além de no contrarrelógio, na passada terça-feira.

PUB
Orbea Genius Dealers

Foto Luis Angel Gomez/SCA/Cor Vos

O jovem camisola vermelha perde, assim, um segundo ‘co-equipier’, poucos dias após o abandono de Pieter Serry, devido a teste positivo a covid-19, e reduz a cinco os elementos da Quick-Step, além de Remco Evenepoel.

“Definitivamente, não é um grande dia. Ainda não sei bem o que aconteceu e quais as consequências físicas para Alaphilippe. De facto, é uma grande perda para a nossa equipa, uma pena. Espero que ele esteja bem”, comentou o líder destacado da classificação geral, que, contudo, tentou relativizar a falta do seu ‘capitão’.

Julian [Alaphilippe] fez coisas muito boas em muitas etapas, tem sido de uma valia inestimável, mas creio que não somos a única formação a perder corredores. Também confio nos meus outros companheiros e tenho certeza de irão desempenhar as suas funções muito bem nas próximas etapas”, concluiu Remco Evenepoel.

O belga teve um dia tranquilo esta quarta-feira, na 11.ª etapa da Vuelta, que teve vitória de Kaden Groves (BikeExchange-Jayco) após sprint massivo, e mantém a sua vantagem considerável de 2.41 minutos sobre Primoz Roglic (Jumbo-Visma).

 

PUB
Giant TCR 2024

Também vais gostar destes!