Nunca nos vamos cansar de dizer, mas se é necessário relembramos: o mais importante a ter em conta neste “mundo” é conseguirmos sentir que estamos em segurança aos comandos da bicicleta, sempre.

PUB
Polisport Trailer

Até porque esta paixão que é o ciclismo tem muitos pontos positivos, mas também um muito negativo: a queda. Este é um desporto de risco, temos de admitir isso, e quando comparado com outros desportos conclui-se que circulamos excessivamente desprotegidos para o risco que corremos. Daí insistirmos tanto na segurança.

Até os melhores vão ao chão… Crédito da imagem: Cor Vos.

Até se fores profissional e os resultados estiverem acima de (quase) tudo não podes deixar de lado a segurança, certo? No entanto, se praticas ciclismo como passatempo, qualquer percalço pode provocar problemas no teu dia a dia, e isto sem contar com o tempo que podes ficar longe da bike. É por isso mesmo que te trazemos estas nossas reflexões e algumas dicas a ter em conta para garantir da tua integridade física.

Segurança ativa

Digamos que a segurança ativa resume as ações que ajudam à prevenção de um acidente. É a segurança que precisamos para que as quedas e os acidentes com a bicicleta não aconteçam. É nela que nos centramos nesta 1ª parte deste artigo.

Como podes calcular, todos (ou quase todos) os elementos que compõem as bicicletas ajudam a assegurar a segurança ativa ou a prevenção de quedas, pelo que é muito importante termos sempre a bike nas melhores condições.

Da mesma forma, todos os itens que estão relacionados com a prática têm de estar impecáveis. Aqui ficam então alguns conselhos e dicas neste contexto:

PUB
Algarve Bike Challenge

1. Verifica a tua bicicleta antes de cada volta

É necessário fazer algumas verificações antes de saires para andar de bicicleta, até porque algumas são muito simples e rápidas e garantem que rodamos em segurança.

Ver se os travões estão em condições, se os pneus têm a pressão certa, se as rodas não apresentam folgas, se as suspensões estão a funcionar corretamente, se a direção não está desalinhada e se não existem elementos “soltos” em secções importantes como o pedaleiro, os manípulos, o selim, etc.

Garantir que tudo isto está a funcionar devidamente, detetando eventuais problemas, é suficiente para evitarmos imprevistos.

2. Mantém-te em forma

Nem todos podemos sair para andar tanto quanto queremos e muitas vezes as saídas são espaçadas no tempo, o que leva a que percamos a forma física entre elas.

O nosso bem estar de forma não serve apenas e unicamente para pedalar como um campeão, mas também para ter uma série de reflexos que no ajudam a escapar a alguns contratempos.

Por isso aconselhamos-te a que definas uma série de exercícios e alongamentos que possas fazer em casa e sem a bike. Na Internet existem milhares de tutoriais de exercícios que podem ser realizados em apenas alguns minutos por dia.

3. Conhece os teus limites

Todos conhecemos os nossos limites e também sabemos que por vezes os ultrapassamos. É importante saber qual é a nossa condição física e técnica a cada momento, tal como temos de saber que não a podemos ultrapassar.

Além do mais, recomendamos que vás sempre um pouco abaixo do limite e que tenhas essa margem para chegares ao limite apenas quando necessário. Não podemos brincar com a nossa segurança física.

4. Planifica bem as tuas saídas

Não há nada pior do que ter uma má planificação e não saber que rota vais percorrer, nem quanto tempo vais demorar, aproximadamente. É quando as horas passam e nos perdemos que a ansiedade e o stress aparecem.

E isto é algo péssimo para a prática desportiva e nos pode levar a controlar a bike de uma forma nervosa, precipitada e, claro, menos segura.

5. Instala umas luzes!

Existem acessórios que podemos incorporar nas bicicletas que ajudam a conseguir a segurança ativa que procuramos. Tudo o que ajuda a prevenir um acidente é um complemento ideal, sendo assim!

Por exemplo, um grande problema no uso da bicicleta de estrada é a probabilidade relativamente elevadas de sofrermos um acidentes com outros veículos, por isso é essencial ter um conjunto de luzes quando se sai, quer seja de noite ou de dia.

Falando de visibilidade, também devemos deixar de lado as roupas mais escuras e optar por equipamentos com cores mais vivas e que nos tornem mais visíveis na estrada ou no trilho.

6. Usa os óculos certos 

Escusado será referir o quão importante é o uso de óculos a andar de bicicleta, mesmo sabendo que nem sempre usamos o modelo mais adequado. Nem sempre é possível ver bem o que está a acontecer à nossa volta, especialmente no BTT, pelo que recorrer a óculos com lentes fotocromáticas é um conselho que deixamos sempre.

7. Veste-te a rigor

A preocupação com o vestuário parece ser um conselho óbvio. Mais óbvio ainda é pensarmos que é essencial andarmos o mais cómodos possível. No ciclismo, um possível desconforto pode impedir que nos concentremos no controlo da bicicleta e isso pode tornar-se perigoso.

8. O equipamento certo…

Usar o equipamento certo para cada situação e estilo de ciclismo a patricar é imprescindível. Por exemplo, se vamos praticar enduro, levar uns sapatos de bicicleta de estrada não é adequado, pois não teremos a necessária proteção contra pedras e ramos que podem saltar do chão.

A mesma coisa se passa com calças, calções, jerseys, capacetes e luvas. Pelo contrário, usar equipamento com excessiva proteção em modalidades que não o exigem também pode tornar-se desconfortável e ser um foco de desconcentração.

9. … e em bom estado!

É importante ter o equipamento em bom estado, com especial atenção ao capacete, que talvez seja o elemento que mais nos pode salvar a vida… Quantas pessoas conhecemos que já passaram por momentos destes?!

É recomendado substituir de tempos em tempos o capacete de entrada, BTT, enduro, seja qual for a vertente… Cada marca detalha este pontos nos manuais de instruções. Verifica se vez em quando a integridade do material que compõe os teus capacetes.

10. Conclusão

Por fim, relembramos que andar bem equipado pode fazer com que alcancemos um rendimento desportivo mais elevado, de certa forma…

Damos sempre o mesmo exemplo: ao passarmos em estradas ou trilhos mais “complicados” e exigentes sem o equipamento certo ou sem proteções acabamos sempre por nos sentir inseguros. E este receio e insegurança podem dar origem a um controlo menos eficaz da bike e a uma eventual queda, certo?

É por isso que todos estes pontos relacionados com uma componente mais ativa da segurança aos comandos da bicicleta são tão importantes… Na 2ª parte deste artigo vamos depois falar da segurança passiva, que também agrega muitos aspetos que não podemos descurar para aproveitarmos ao máximo este nosso desporto!

Fotos: CatEye / Commençal / David Cachón / Lapierre Overbolt Team / Mavic / Mondraker / Orbis Lab / Rock Shox / Shimano / Spiuk

PUB
Orbea

Estás a gostar do GoRide.pt?

Então subscreve a Newsletter GoRide.pt clicando/tocando na imagem abaixo!

NEWSLETTER GORIDE.PT Newsletter GoRide.pt

José Escotto
O nosso responsável pelo GoRide Espanha! Experiência na área do ciclismo (e do desporto em geral) não lhe falta e muito menos entusiasmo quando se trata de divulgar as mais recentes novidades de bicicletas e BTT.

    Também vais gostar destes!

    Mais em Bikes