Era inevitável! Tínhamos diante de nós a bicicleta que Alberto Contador usa nas suas “aventuras” e treinos diários, era imperativo registar este momento durante a apresentação oficial da nova Aurum Magma, em Madrid, recentemente. Podes ver tudo aqui.

PUB
KTM E-Bikes BTT

Mas atenção que esta é uma bicicleta muito exclusiva! Nem no próprio catálogo da marca encontramos algo assim… Isto porque esta era uma bicicleta protótipo.

Alberto Contador

A Magma do “pistolero”  é um tamanho 54, o mesmo tamanho que utilizamos nós na pequena sessão de teste que tivemos. E, à primeira vista, é muito semelhante à bicicleta de série. O que faz sentido tendo em conta o altíssimo nível de conceção (e de componentes) que tem a Magma “normal” do catálogo, especialmente na versão que testámos, a topo de gama com transmissão Shimano Dura-Ace Di2 e rodas Lightweight Obermayer.

A bicicleta de Alberto tinha montadas umas rodas Princeton Wake 6560 de 65-60 mm de perfil. Ao falarmos com ele, o ex-ciclista espanhol comentou: “estou encantado com estas Princeton. As oferecidas nas diferentes montagens da Magma são as Peak 4550 com perfis de 45-50 mm, pois visualmente ‘assustam’ menos os utilizadores”.

PUB
Beeq

“Um perfil de 60 mm como o que uso é teoricamente exagerado para quando se roda em todo o tipo de terrenos. Mas, sendo sincero, não encontro diferenças ao pedalar com as de 60 mm ou com as de 45 mm. Uso as de 60  mm porque ficam espetaculares…”, continuou.

Alberto Contador

Os pneus na bicicleta de Alberto eram os mesmos que vêm de série na Magma: os Vittoria Corsa Pro de 28 mm. Confessou-nos que não os usa sem câmara de ar… “Sim, já os usei sem câmara no passado, mas acabei farto da complicação do líquido e da sujidade que pode deixar nas rodas e na própria bicicleta. Já há algum tempo que uso somente câmaras de ar”.

Seguindo com as especificações da Aurum Magma de Alberto Contador, paramos agora na transmissão: a Shimano Dura-Ace Di2, com travagem da mesma série, assim como o pedaleiro. No desviador traseiro, o mais notório era a roldana OSPW da CeramicSpeed, embora nas especificações da bicicleta de série esta esteja como opção disponível.

PUB
Orbea Genius Dealers

Enquanto pedalávamos junto a Alberto, perguntámos se ele usa uma transmissão Shimano Dura-Ace Di2 por escolha própria ou por patrocínio. Respondeu assim: “realmente tenho bicicletas com transmissões Shimano Dura-Ace Di2 e Sram Red AXS. E, sinceramente, não tenho preferência por nenhuma em específico, acho que ambas funcionam muito bem”.

Alberto Contador

Por outro lado, os discos não são os que a Shimano tem no catálogo (nem os que vêm de série na Magma): os que Alberto usa são uns Carbon Ti X-Rotor SteelCarbon 3, que são “flutuantes” e têm a “aranha” em fibra de carbono. Estes discos são mais comuns no WorldTour (por exemplo, a UAE Team Emirates é um de seus “clientes” habituais).

Outro detalhe pessoal são os pedais: Alberto usa uns Look Keo Ti com corpo em fibra de carbono e eixo de titânio. As grades de bidon, por sua vez, são assinados pela própria Aurum, com um design minimalista.

O selim era um Prologo Scratch M5 Nack Hard Black, exatamente o da Magma de série. Num dos momentos da apresentação, o próprio Alberto comentou que a escolha do selim foi sua, confessando que este selim lhe parece um dos melhores.

De facto, notava-se que é curioso ver como na equipa da Polti-Kometa todos os corredores utilizavam o mesmo selim, algo realmente curioso, já que este é um ponto sempre muito em torno de gosto pessoal.

PUB
KTM E-Bikes BTT

Alberto Contador

Por fim, o cockpit: trata-se do novo guiador integrado da Aurum, que vem de série nas Magma, uma unidade que “esconde” totalmente os cabos. Este é um ponto muito sensível, algo que Alberto comentou em conversa descontraída quando terminámos a volta.

“Levo muito a sério a qualidade de fabrico dos nossos componentes. Acho que um guiador deve oferecer muita segurança e confiança, é um elemento muito importante. O fabricante comentou connosco que com o nível de exigência que solicitávamos, não podiam cumprir os prazos de entrega estipulados. Assim, tivemos que investir em dois moldes a mais para que a produção não diminuísse e não tivéssemos que comprometer a qualidade”, explicou.

Alberto Contador

Em resumo, o que pudemos perceber é que as bicicletas de série, nos níveis em que se encontra a Magma, são muito semelhantes às que os corredores usam… Acabou-se aquela época em que as bicicletas de competição eram “vitrines” de componentes exclusivos e de “terceiros”. Hoje, uma bicicleta recém-saída da loja pode ser perfeitamente válida para competir. E a nova Aurum Magma é isso mesmo.

Mais info:

Também vais gostar destes!