Remco Evenepoel (Deceuninck-QuickStep), segundo classificado da geral no início da etapa 11 do Giro, foi o grande derrotado na difícil e traiçoeira jornada desta quarta-feira, com os últimos 70 km disputados nos troços de terra (sterrato) da Toscana, que servem de palco à espetacular Strade Bianche.

PUB
Selle SMP

O belga teve um dia mau, descolando do grupo dos principais candidatos ao triunfo no Giro, a 25 km da meta, num dos setores de sterrato, perdendo dois minutos para Bernal no final da etapa.

Evenpoel, de início, ficou isolado, sem apoio de João Almeida, que era o único elemento da equipa QuickStep no grupo principal, mas depois, o corredor português descaiu para ajudar o seu companheiro, que é o chefe-de-fila desde o mau resultado de Almeida na primeira etapa de montanha da prova.

Remco chegou a arrancar o seu auricular, numa exteriorização de frustração, desconhecendo-se, ainda, o motivo da descoordenação entre ele, a equipa e João Almeida. O português acabou por ser fundamental para o belga não perder mais tempo, que seria definitivo na luta pela geral, cruzando a linha na 26.ª posição e caindo para a 7.ª na classificação do Giro.

Na liderança da corrida italiana está Egan Bernal cada vez mais destacado, após mais uma demonstração de superioridade, pela segunda vez neste tipo de piso na prova. Na subida do Passo del Lume Spento, de 3.ª categoria, já perto do final da etapa, o colombiano detonou o grupo da frente, de apenas 14 corredores.

PUB
Orbea Genius Dealers

Emanuel Buchmann (Bora-Hansgrohe) foi o primeiro a atacar, mas Bernal, após deixar para trás Aleksandr Vlasov (Astana-Premier Tech) e Hugh Carthy (EF Education-Nippo), alcançou o alemão e ambos colaboraram para distanciar os adversários até à meta, em descida.

Bernal cruzou a linha de chegada em 11.º lugar, a 3:09 do vencedor, Mauro Schmid (Qhubeka Assos), o mais forte da longa e bem-sucedida fuga do dia, enquanto Buchmann chegou três segundos depois do corredor da Ineos.

Vlasov perdeu 23 segundos para Bernal, seguido, a três segundos, pelo trio Damiano Caruso (Bahrain Victorious), Simon Yates (BikeExchange) e Tobias Foss (Jumbo-Visma). Carthy foi o único outro a terminar a menos de minuto de Bernal, com Giulio Ciccone (Trek-Segafredo), Marc Soler (Movistar) e Vincenzo Nibali (Trek-Segafredo) deixaram até dois minutos.

PUB
Specialized Levo

Romain Bardet (DSM), que se manteve sempre no grupo dos melhores nos troços de terra, acabou por ceder na subida final e cruzou a meta ao lado de Evenepoel, a 2m08s de Bernal.

As maiores vítimas, no entanto, foram Dan Martin (Israel Start-Up Nation) e Davide Formolo (UAE Emirates), que perderam contato logo no primeiro setor e nunca mais recolaram, terminando a mais de seis minutos de Bernal.

O colombiano reforçou a camisola rosa, dispondo de uma vantagem de 45 segundos para o agora segundo classificado Vlasov, e de 1m12s para Caruso, terceiro. Carthy está mais quatro segundos atrás, logo à frente de Yates, enquanto Buchmann está em sexto lugar a 1m50s. Evenepoel caiu cinco posições e encontra-se a 2m22s de Bernal, com Ciccone dois segundos depois.

Também vais gostar destes!