É certo que com o surgimento de ciclistas de enorme qualidade na Eslovénia, faz com que os seus Campeonatos Nacionais reúnam algum interesse. Porém, o facto de serem os primeiros Nacionais  na Europa pós-confinamento, aumentou ainda mais a expectativa de finalmente voltar a ver nomes como Primoz Roglic e Tadej Pogacar em ação.

- - - Pub - - -

Specialized Recolha em Loja

Ambos não desiludiram, numa Eslovénia cuja situação epidemiológica permitiu que os Nacionais se realizassem no mês habitual. Roglic e Pogacar lutaram pelo título nacional de estrada, com o primeiro a fazer aquilo que no ano passado tanto fez. Em 2019 venceu metade das corridas em que participou (seis em 12), além de algumas etapas pelo meio.

Este ano, Roglic ainda não tinha competido, tal como os seus companheiros do mais recente tridente do ciclismo mundial: Steven Kruijswijk e Tom Dumoulin. Com os três escalados para o Tour e com todos a querer ganhá-lo, ou pelo menos subir ao pódio, Roglic começa a marcar a sua posição na primeira corrida que faz em 2020.

Vai para o reatar da época como campeão nacional, batendo por dez segundos a estrela em ascensão meteórica do ciclismo, Tadej Pogacar (UAE Team Emirates). Roglic venceu a Vuelta em 2019, mas Pogacar partilhou protagonismo ao ser terceiro, vencedor da juventude e ainda amealhou três etapas, contra uma do líder da Jumbo-Visma. E é sempre bom recordar que se está perante dois ciclistas que venceram a Volta ao Algarve.

“É realmente maravilhoso que a situação permitisse que pudéssemos correr outra vez e fazer o que fazemos melhor, correr nas nossas bicicletas. Estou, por isso, muito feliz por ter conseguido ficar com o título nacional na minha primeira corrida da época”, afirmou Roglic, num comunicado divulgado pela sua equipa, a Jumbo-Visma.

“Foi uma corrida difícil, com uma subida muito dura no final. Com os resultados na primavera, o Tadej era favorito e não foi certamente fácil batê-lo”, acrescentou Roglic, admitindo que fez o reconhecimento da subida final nos últimos dias. “Sabia onde tinha de atacar”, disse.

Já a pensar nas próximas corridas

Ganhar na primeira prova que faz é motivador, mas o ciclista esloveno avisa que ainda não está na sua melhor forma. “Mas estou entusiasmado para as próximas corridas”, salientou. Roglic tem, de momento, três provas francesas no seu calendário: o Tour de l’Ain, Critérium du Dauphiné e a Volta a França.

Em terceiro nos Nacionais eslovenos – corrida com 145,8 quilómetros – ficou outro nome forte daquele país. Matej Mohoric, da Bahrain-McLaren, é um vencedor de uma etapa no Giro e na Vuelta e campeão do mundo de sub-23 em 2013. Ficou a 39 segundos, tendo em 2018 sido o campeão nacional.

LÊ TAMBÉM:  Dentro da Volta a Portugal 2020 com Hernâni Brôco

Aos poucos o ciclismo vai regressando à estrada e há que não esquecer que em Portugal o recomeço da temporada está marcado para 5 de julho em Anadia, com um contrarrelógio individual.

GoRide

Subscreve a Newsletter GoRide!

Todos os artigos diretamente no teu email.