Sem corridas, muitos atletas profissionais procuraram outras formas de se desafiarem. O ciclismo virtual ganhou expressão em tempos de confinamento, mas agora que já se treina livremente não significa que os corredores tenham deixado de encontrar formas diferentes de se motivarem e também de se divertirem. Philippe Gilbert (da Lotto Soudal) é exemplo disso mesmo.

- - - Pub - - -

Specialized Recolha em Loja

O belga, que reside no Mónaco, regressou ao seu país, enquanto está a filmar um documentário sobre a sua vida.

E o irmão resolveu proporcionar uma gravação única: desafiou Gilbert a bater o recorde do Strava da La Redoute, mítica subida da Liège-Bastogne-Liège, monumento ganho pelo belga em 2011.

1,6 quilómetros, com uma pendente média a rondar os 9,5%. Gilbert não ia dizer que não, certamente!

Em 4:42 minutos o belga completou a subida, tirando 17 segundos ao anterior recorde, que também pertencia a um ciclista do World Tour, o francês Romain Bardet (AG2R). A velocidade média foi de 20,9 quilómetros por hora.

O jovem que bateu um campeão do mundo!

Um exclusivo para o documentário… mas vai precisar de levar uma informação extra: 24 horas depois, a sua marca foi batida. Em defesa do sub-23 autor da proeza, Gilbert escreveu nas redes sociais: “Tentem bater.”

O nome Gijs Leemreize ainda é desconhecido, apesar de ser um jovem holandês a evoluir na equipa de desenvolvimento da Jumbo-Visma. Tem 20 anos, menos 17 que o veterano Gilbert.

A meio de um treino de 106 quilómetros, Leemreize subiu a toda a velocidade a La Redoute. 4:22 minutos, a uma velocidade média de 21,1 quilómetros por hora.

Nada que preocupe Gilbert, mas Leemreize ganhou o direito de receber alguma atenção mediática.

Afinal, não é todos os dias que se bate um campeão do mundo e um dos senhores do ciclismo…

GoRide

Subscreve a Newsletter GoRide!

Todos os artigos diretamente no teu email.