Estava a prometer e João Almeida conseguiu. O ciclista da Caldas da Rainha conquistou a sua primeira vitória desde que chegou ao World Tour em janeiro: a classificação da juventude do Tour de l’Ain. Mas há mais. Depois do terceiro lugar na Volta a Burgos na geral, Almeida foi sétimo, num top dez mais uma vez recheado com alguns dos grandes nomes do ciclismo mundial.

Aos 22 anos, o português continua a impressionar na sua estreia ao mais alto nível pela Deceuninck-QuickStep, começando rapidamente a confirmar as expectativas criadas nos dois anos muito positivos na Hagens Berman Axeon, de Axel Merckx.

Depois de duas corridas em que acabou por ser um fiel escudeiro de Remco Evenepoel, mas onde também alcançou bons resultados – foi nono na Volta ao Algarve e fez pódio na Volta a Burgos, ambas ganha pelo belga -, desta feita surgiu em França com mais e merecida liberdade. Evenepoel estava na Polónia.

Dois oitavos lugares, décimo na terceira e última etapa e o sétimo na geral no Tour de l’Ain, corrida que até foi vista como um primeiro embate para a Volta a França entre Jumbo-Visma e Ineos. João Almeida conseguiu receber a sua atenção, pois foi de longe o melhor jovem. O luxemburguês Michel Ries (Trek-Segafredo) ficou a 11:46 minutos.

No Grand Colombier, Almeida foi o único desta classificação que ainda fez uma boa parte da subida com os que lutavam pela geral ou pelo pódio. Apesar de ter perdido eventualmente contato, ainda assim subiu mais um lugar na classificação geral e garantiu que levava a camisola branca para casa.

Vitória de Primoz Roglic

© Tour de l’Ain

Na luta entre Jumbo-Visma e Ineos, a equipa holandesa foi claramente superior. A Ineos esteve irreconhecível e terá deixado Egan Bernal algo nervoso, pois a Volta a França começa daqui a 20 dias. Na luta de tridentes o de Roglic/Kruijswijk/Dumoulin foi mais unido e está muito mais forte do que o de Bernal/Thomas/Froome.

A vitória de Primoz Roglic nunca esteve ameaçada, pois teve ainda um George Bennett a grande nível a ajudá-lo. O campeão esloveno venceu duas das três etapas e fechou a geral com 18 segundos de vantagem sobre Bernal e 28 sobre Nairo Quintana (Arkéa Samsic).

Aqui podes ver as classificações finais do Tour de l’Ain, via ProCyclingStats.

Evenepoel mantém pleno na Polónia

A Deceuninck-QuickStep continua a somar vitórias. Davide Ballerini foi o mais forte no sprint da última etapa da Volta à Polónia, com Remco Evenepoel a confirmar o triunfo na geral, depois de ontem ter feito 50 quilómetros sozinho para vencer a etapa e garantir mais uma camisola amarela. Ficou com 1:52 minutos sobre Jakob Fuglsang (Astana) e 2:28 sobre Simon Yates (Mitchelton-Scott).

Para a Deceuninck-QuickStep foi um final com festejos contidos, pois no pensamento continua a estar Fabio Jakobsen. O holandês continua hospitalizado a recuperar da grave queda na primeira etapa da corrida polaca.

Evenepoel manteve assim o recorde 100% vitorioso nas corridas em que participou em 2020. Volta a San Juan, Algarve, Burgos e agora Polónia. Conquistou também sempre pelo menos uma etapa. No Algarve, foram duas.

De referir que na Polónia, Rui Costa (UAE Team Emirates) fechou o top dez, a 3:19 de Evenepoel.

Vê aqui as classificação da Volta à Polónia, via ProCyclingStats.