A primeira etapa da Volta a Polónia acabou com uma queda que impressiona só de ver. As consequências ainda não estão totalmente definidas porque um dos ciclistas, Fabio Jakobsen, estará a ser submetido a uma cirurgia, sendo o seu estado de saúde grave.

- - - Pub - - -

Polisport T500

Na luta ao sprint, Dylan Groenewegen (Jumbo-Visma) tentou fechar o seu rival da Deceuninck-QuickStep. Foi longe de mais com a mudança de direção – proibida durante o sprint – e acabou não só por encostar Jakobsen às barreiras, como levou este a chocar com elas.

O que se seguiu foi uma das piores quedas da memória recente do ciclismo. O holandês saltou pelas barreiras e foi embater junto ao pórtico da meta, onde estava um senhor a tirar fotografias, que também é atingido. Uma das grades vai para a estrada e provoca a queda de mais ciclistas.

O próprio Groenewegen cai após o seu gesto irrefletido. Vários dos envolvidos acabaram a ser transportados para o hospital. Marc Sarreau (Groupama-FDJ) ficou com lesões no ombro e rutura de ligamentos, segundo a equipa. Jasper Philipsen (UAE Team Emirates) parece ter tido mais sorte. Alguns arranhões e um corpo certamente bem dorido.

No momento em que se publica este texto, as notícias sobre Jakobsen são poucas. O Sporza cita o médico da Volta à Polónia, que refere que o ciclista terá perdido muito sangue e que corria risco de vida. Foi transportado de helicóptero para o hospital e colocado em coma induzido.

Reações

Vários ciclistas do pelotão World Tour, mas também de equipas de outros escalões, estão a escrever nas redes sociais mensagens de apoio a Fabio Jakobsen. Alguns tecem algumas críticas à organização por apostar nesta chegada a Katowice ao sprint em descida. Os ciclistas conseguem atingir velocidades a rondar os 80 quilómetros por hora.

Já o diretor da Deceuninck-QuickStep ficou furioso com o sucedido e mostrou-o no Twitter. “Têm de pôr este gajo da Jumbo-Visma na prisão”, começou por escrever. Num outro twit acrescentou (tradução à letra): “Eu vou para tribunal estas acções têm de ficar de fora do ciclismo. Isto é um facto criminal senhor Dylan Groenewegen [e identificou o ciclista].”

Groenewegen está no centro de muitas críticas. Porém, tanto a equipa, como a UCI já reagiram. A Jumbo-Visma avisou que irá analisar a situação internamente, antes de falar publicamente. A UCI passou o caso à Comissão Disciplinar, o que deverá levar a sanções mais graves do que a simples desqualificação e multa.

Mau dia para a Deceuninck-QuickStep

A queda de Fabio Jakobsen foi a segunda do dia a afetar ciclistas da equipa belga. Poucos minutos antes, na Milano-Torino, Yves Lampaert ficou envolvido num incidente com vários atletas. Um dos homens importantes nas clássicas da Deceuninck-QuickStep partiu a clavícula.

LÊ TAMBÉM:  Primoz Roglic ultrapassa desilusão do Tour com segunda vitória na Vuelta

Já a Groupama-FDJ vive sentimentos mistos. Marc Sarreau terá uma paragem forçada, na segunda corrida que estava a fazer após a retoma do ciclismo. Porém, Arnaud Démare venceu a Milano-Torino.

GoRide

Subscreve a Newsletter GoRide!

Todos os artigos diretamente no teu email.